Arquivo da categoria: Olimpíadas

Sobre Orlando Silva

Orlando Silva, ministro dos Esportes - Foto: Vanessa Carvalho/AE

Orlando Silva, ministro dos Esportes - Foto: Vanessa Carvalho/AE

A semana tem um dono: Orlando Silva. O ministro dos Esportes está na capa de tudo que é jornal. Nos sites, as notícias mudam durante o dia, mas está lá ele, se afundando cada vez mais com uma série de acusações.

Vejo a situação por dois ângulos. Primeiro, todas as acusações têm de ser apuradas de verdade, sem politicagem (utopia?). (Não sabe quais são as acusações, entre aqui e confira, no fim da matéria.) Punir quem tem de ser punido é um dever moral de qualquer governo, ainda mais quando se trata de dinheiro público. Afinal, eu e você pagamos zilhões em impostos por ano para ter um mínimo de dignidade, não para financiar esquemas e mais esquemas.

Por outro lado, será que alguém ainda acredita que Orlando Silva deva continuar no cargo? Para mim, é fato que ele tem que sair, e já. Mas sair sem provas?, diria o outro. O próprio ministro afirmou que sabia disso e daquilo e que “mandou apurar”, mas nada aconteceu.

Orlando Silva pecou por sua omissão total diante das acusações, dos desvios, de tudo mais. E, se comprovada sua participação em tudo isso, tem que pagar criminalmente. Pela omissão ou pela ação, é hora de mais uma demissão em um ministério do governo Dilma. Simples assim.

Deixe um comentário

Arquivado em Copa do Mundo, Olimpíadas, Outros esportes

Serginho, o melhor líbero do mundo, e uma opinião sobre os Jogos Olímpicos do Rio

Serginho na seleção brasileira - Foto: Silvio Ávila/CBV

Serginho na seleção brasileira - Foto: Silvio Ávila/CBV

Serginho, o Escadinha, líbero da seleção masculina de vôlei. Zilhões de títulos. Indiscutivelmente, o melhor líbero do mundo, talvez, o melhor da história desde que a posição foi inventada. Saiu de Pirituba para conquistar o mundo com o vôlei. Dois ouros olímpicos, 500 títulos da Liga Mundial, enfim, é o cara.

Ele foi o entrevistado do programa “Agora É Tarde”, de Danilo Gentili, na Band, na madrugada desta sexta-feira. Falou muita bobagem, deu risada, se divertiu, enfim. Mas falou coisa séria e opinou sobre o fato de o Brasil ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 (acho que vale para a Copa de 2014 também).

Não sou eu, um mero jornalista, falando. É um cara que ralou muito para disputar as duas Olimpíadas que disputou e chegar onde chegou na carreira. Concorde ou não com o que ele fala, vale para reflexão:

“Acho que tem condições de fazer [as Olimpíadas], mas acho que tem outras prioridades no Brasil.”

“A gente vê que o Brasil tem uma desorganização total não só na área de esporte, em outras áreas. Para trazer um evento desse que é mágico e é gigantesco, é complicado, precisa de uma estrutura fenomenal.”

“Eu falo disso porque eu sou de um bairro que é muito humilde, e a rua da minha mãe não tem asfalto. Então não vou chegar e não vou ficar falando que o Brasil… Tem condições, tem. Mas acho que as prioridades são outras.”

“Se você for na periferia de São Paulo, quantas ruas não têm, quanta gente não perde casa, e vão ser gastos milhões e milhões e milhões.”

No vídeo abaixo, a íntegra da entrevista de Serginho. Ele fala sobre as Olimpíadas no Brasil a partir de 11min50:

P.S.1: Será que vai rolar alguma represália contra o Serginho?
P.S.2: Serginho, Escadinha, tanto faz. Ele mesmo falou que gosta do apelido. Acho que isso encerra uma babaca polêmica sobre o assunto.
P.S.3: A foto que ilustra esse post parece piegas, mas foi escolhida a dedo para um momento de reflexão. Ser patriota, vestir as cores do país, ser cidadão, enfim… Tudo isso é algo praticado no dia a dia, no cotidiano, ou de quatro em quatro anos, com corneta e dia de folga no trabalho? A se pensar.

1 comentário

Arquivado em Copa do Mundo, Olimpíadas, Vôlei